Entre a passeata, o ato e a parada: A construção social das emoções nas Paradas LGBTs

Clayton da Silva Vidal

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar o conjunto das emoções presentes nas construções jornalísticas sobre a Parada Gay, identificada como Parada do Orgulho LGBT. Ao tomar as reportagens publicadas no jornal O Globo no ano de 1995 e 2005, como possibilidades de representações emotivas, estabelece-se, aqui, um diálogo com os textos jornalísticos para entender como o percurso das emoções no espaço midiático estabelece sentido afetivo ao longo do tempo, através dos sentimentos vivos ou difusos que se contradizem ou modificam-se com o passar dos anos. Ao propor uma gramática sobre os conflitos morais presentes no contexto social, Axel Honneth entende haver uma luta por reconhecimento que se inscreve no campo do conflito. Sendo assim, compreendemos que a busca por reconhecimento impõe uma dinâmica conflituosa capaz de Breton. Deste modo, buscamos na Parada LGBT, megaevento florescer maneiras próprias de tais emoções se constituírem, como sugere capaz de aglutinar importantes atores sociais num complexo movimento social que articula a luta política e disputa por sentidos, as dinâmicas que se constroem no espaço midiático, regido por diferentes conflitos e rivalidades, pertencentes ao jogo político também em disputa
Palavras-chave: Reconhecimento social - LGBT - Jornalismo


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.