Alfabetização/letramento para surdos: pela singularidade da legalização

Luzia Cristina de Araújo

Resumo


A problemática relacionada em todas as modalidades de ensino para surdos já vem sendo alvo de investigação desde longa data, sempre sendo caracterizada por inúmeras ambiguidades e paradoxos entre os profissionais da educação e o aprendiz, o que certamente, inviabiliza a clara compreensão teórica do processo de aprendizagem como uma possibilidade de atuação eficaz no campo da prática pedagógica. Percebe-se claramente que existem tensões de ambos os lados – professor e aprendiz – as quais se concretizam em práticas de comunicação distantes de uma interação significativa entre os sujeitos do processo ensino-aprendizagem. Como forma de superação desse quadro, o presente trabalho oferece suporte teórico para questões desafiadoras que norteiam o processo alfabetização e letramento na concepção bilíngue para os surdos brasileiros e que, consequentemente, impedem a efetiva inclusão, entendida como respeito às diferenças (eixo fundamental do “bilinguismo”, aqui defendido). O objetivo maior é contribuir para a melhoria da educação brasileira no qual o processo de aprendizagem para surdos está posta hoje nas instituições de ensino, através de leis que se materializam como um grande desafio, porque os professores encontram muitas dificuldades em apropriar-se de uma proposta de aprendizagem que legitime a linguagem dos surdos, sem que se perca de vista o processo educacional integral.

Palavras-chave: Surdez. Alfabetização. Letramento. Bilinguismo.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.