ALGUMAS CONSIDERAÇÕES PSICOLÓGICAS ACERCA DA TEMATIZAÇÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS POR JEAN-PAUL SARTRE

Natália Singelo de Lima, Thaís de Almeida Cannavezes, Luiz José Veríssimo

Resumo


O princípio sartriano que afirma “a existência precede a essência” (Sartre, 1987, p. 5) fundamenta a ideia de que o ser humano não possui uma essência pré-determinada.  Ao contrário dos objetos (designados como Em-si), o nosso ser (designado como Para-si ou consciência) é concebido como indeterminado e inacabado.  Esse é o sentido que Sartre dá para a liberdade.  Por ser livre, o ser humano vivencia a angústia de ter que escolher entre as possibilidades que lhe aparecem para construir a sua existência. A angústia surge pelas escolhas que o ser humano faz ou deixa de fazer. Por isso, Sartre estima que a angústia está sempre presente. Ao tentar escapar desta angústia, o ser humano pode tentar negar a sua liberdade agindo com má-fé. Nesse contexto, a existência do ser é construída nas relações humanas e a partir das escolhas que o homem realiza diante das possibilidades

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.