Análise da sensibilidade do segmento de restaurantes em relação ao uso de biotecnologia no tratamento de efluentes

Márcio Santos Souza

Resumo


Uma amostra de 100 restaurantes foi analisada utilizando, como ferramenta, um questionário, com o objetivo de traçar um perfil em relação à manutenção de suas caixas de gordura e tratamento de efluentes. A gordura presente nas caixas de esgoto, caso não seja retirada, é arrastada para a rede coletora podendo a baixas temperaturas, solidificar-se, provocando entupimentos e extravasamentos. Para o restaurante, acarreta problemas com odores, presença de vetores e roedores, com consequente perda de negócios. Uma das alternativas possíveis é o uso de microrganismos na limpeza das caixas de gordura, mas face ao desconhecimento e à visão distorcida de que tal medida poderia onerar o estabelecimento, a adoção da alternativa é bastante embrionária. Nessa pesquisa, foi constatado que os restaurantes utilizam, na limpeza de suas tubulações e caixas de gordura, desde soda cáustica até o descarte diretamente na rede coletora, o que provoca grandes problemas ambientais e interfere na eficiência das Estações de Tratamento de Esgoto, uma vez que estas recebem efluente mais rico em gorduras. Foi constatado na pesquisa que 2% da população pesquisada nem ao menos possuíam caixa de gordura e, nesse caso, o efluente era descartado in natura na rede coletora. Palavras-chave: Caixas de gordura, biotecnologia, microrganismos, efluente.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.