A tematização da vivência amorosa na psicologia existencial humanista. Um estudo da literatura existencial-humanista.

Maria Fernanda Ferreira de Carvalho, Michel Marques Wolker

Resumo


 

Em nossa pesquisa sobre a vivência amorosa, fomos remetidos ao contexto da contemporaneidade, e logo percebemos que o nosso tema está pautado na Intersubjetividade, isto é, numa psicologia fenomenológica da relação. Tal proposição a entende composta de vários "ingredientes" que permeiam a intersubjetividade de seres humanos que se desejam, se encantam, se desencontram, se encontram, se relacionam, acreditando fazer isso no âmbito da experiência amorosa. Este trabalho de pesquisa visa encontrar na filosofia de Martin Buber (1878 – 1965) algumas considerações sobre os fundamentos segundo um modo de concepção de relação fundada na intersubjetividade e no diálogo, assim como na problematização da objetivação das relações humanas e, por extensão, amorosas. Para Luczinski e Ancona-Lopez (2010) "O diálogo é algo que ocorre entre as pessoas, e não dentro delas. É voltar-se para o outro, para o mundo (...)".


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.