TONTURA EM IDOSOS

Nathalia Guedes de Medeiros, Lilian Felipe

Resumo


    Tonturas estão entre as queixas mais comuns da população idosa. Constituem problema de grande relevância, uma vez que se associa ao risco de quedas, importante fator relacionado à morbidade e mortalidade nessa faixa etária. Estima-se que a prevalência de tontura na população acima dos 65 anos chegue a 85%, estando associada a diversas causas, e podendo se manifestar como desequilíbrio, vertigem e/ou outros tipos de tontura. O exame vectoelectronistagmográfico (VENG) é atualmente o mais utilizado para a propedêutica da tontura, determinando o topodiagnótico das lesões (periférico ou central). Dentre a bateria de testes, destaca-se a prova calórica, por ser a única etapa que oferece medida objetiva da função vestibular de cada labirinto. O objetivo desse estudo foi descrever as principais causas de desequilíbrio no idoso, correlacionando os tipos de tontura com os resultados da prova calórica.

 


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.