COMPARAÇÃO CLÍNICA E TOMOGRÁFICA DA ESPESSURA GENGIVAL DOS DENTES ANTERIORES SUPERIORES

Sérgio Khan, Manuela Cunha Neto, Priscila Barbosa Correia

Resumo


    A definição do morfotipo periodontal, atualmente, é um dado importante no diagnóstico e na definição do tratamento e prognóstico de procedimentos clínicos e cirúrgicos, principalmente os que envolvem estética. Muitos autores propuseram classificações para o morfotipo periodontal.

A espessura gengival pode alterar com a idade.

A tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) foi utilizada por Januário et al. (2008) e Barriviera et al. (2009) em seu estudo, o qual comprovou ser o exame um método confiável e não invasivo para a definição de espessura gengival vestibular (Januário et al., 2008) e da mucosa palatina (Barriviera et al., 2009).

Fu et al. (2010) compararam a medição clínica da espessura gengival e óssea com a medição tomográfica, e não encontraram diferença entre elas, demonstrando que a tomografia computadorizada pode ser usada para determinar a espessura de tecido mole e duro.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.