ALTERNATIVAS PARA O CONTROLE POPULACIONAL DE AEDES AEGYPTI EM ÁREAS ANTROPIZADAS NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO.

Mariana Vargas Silveira, Italo Vicente Marques, Cleber Barreto Espindola

Resumo


   A família Culicidae, pertencente à Ordem Díptera, Sub ordem Nematocera, são popularmente conhecidos como mosquitos, pernilongos, muriçocas ou carapanãs. Atualmente reconhecem-se, aproximadamente, 3600 espécies nesta família. Os mosquitos passam por duas fases em sua vida, uma aquática - com quatro instares: L1, L2, L3 e L4 e pupa - e outra fase terrestre - o mosquito alado (Espindola et al 2008). As fêmeas dos culicídeos possuem hábitos hematofágicos, através dos quais se tornam importantes vetores de doenças.
As doenças transmitidas por vetores de importância em Saúde Pública estão associadas à sua distribuição geográfica e a prevalência dessas doenças aumenta de acordo com as condições ambientais, favoráveis à adaptação destes vetores ao meio ambiente.
A família Culicidae é conhecida pela sua complexa dinâmica interpopulacional, visto que as várias espécies desta família adaptam-se a vários tipos de criadouros naturais e/ou artificiais (FORATTINI, 2002). Desta forma, a chuva e outros fatores climáticos são fatores chave para o aumento da abundância de algumas espécies, mas também podem ser fatores redutores de outras populações destes mosquitos. Chuvas torrenciais prejudicam a reprodução, a eclosão e a locomoção de culicídeos (GOMES, et al., 2007), mas podem formar novos criadouros para as larvas. Por outro lado, o desenvolvimento urbano desordenado tem favorecido o crescimento populacional de dípteros desta família, como é o caso do Aedes aegypti L. e Aedes albopictus Skuse (Espindola et al 2008).
O mosquito Aedes aegypti é o vetor do vírus dengue e da febre amarela urbana (Natal & Ueno 2004) e está presente em todas as regiões de nosso território, tornando-se assim um dos mais importantes vetores de doença do país. Desta forma, o presente estudo tem por finalidade estudar a dinâmica populacional dos dípteros da família Culicidae em áreas antropizadas nos arredores da Universidade Veiga de Almeida, assim como buscar formas alternativas para o controle populacional destes vetores.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.